Como viver no home office sem se atrapalhar

Você um dia vai trabalhar em casa (se já não trabalha). A primeira coisa é não misturar os canais e saber transitar bem entre estar em casa e trabalhar em casa. Veja algumas idéias.Acordar cedo, tomar banho, tomar café, ler um jornal e ficar de pijama! Pode ser? Atualmente, sem sombra de dúvida, e você ainda poderá ser bem visto por isso.

Trabalhar em casa, também chamado de home–office ou teletrabalho é o novo–velho hype do mundo corporativo e da mídia que o sustenta de tempos em tempos. Como não poderia deixar passar em branco, sendo algo tão próximo de mim, tenho visto em diferentes publicações, desde aquelas que tratam de negócios àquelas que tratam de “estilo de vida” ou ?decoração?, passando pelas de “vida saudável” e afins, parece que essa modalidade de trabalho – resultado da mudança de paradigmas no mundo do trabalho e da relação empresa–profissional em tempos globalizados – foi eleita a tendência da temporada a ser redescoberta, rediscutida e redefinida.

Hoje já se fala em “projetos para home–office”, “móveis para home–office”, “gadgets para home–office”, “iluminação para home–office” etc. Coisas comuns a uma prática que começa a se popularizar por aqui, mas que ainda não é completamente entendida.

Mais do que ser vista como uma idéia já bem adiantada e que funciona em países adiantados, o home–office é uma forma inteligente de ter o seu trabalho bem feito, com mais liberdade e economia de tempo e dinheiro em investimentos muito diversos de um “office” convencional. Sem trânsito, sinal fechado, chefe chato ou traje social.

Então, sem dar muita atenção a visões equivocadas ou românticas do “escritório em casa” e tendo em mente que o mais importante é ter um canto reservado e organizado em sua casa para trabalhar, existem apenas algumas coisas que você precisa saber:

1) A primeira coisa a saber é que todos precisamos de horários e de disciplina para o nosso home–office. Não é porque estamos em casa, trabalhando, que vamos começar quando bem entendemos necessário ou quando “dá tempo”. Jamais. É preciso lembrar definitivamente que as tarefas e responsabilidades assumidas estão relacionadas com o mundo lá fora, do trabalho comum, nas empresas com horários ajustados. Logo, natural e razoável que tenhamos um horário definido para que possamos estar disponíveis e ativos, realizando o trabalho de forma eficiente e organizada. Da mesma forma, trabalhar além da conta ou responder a e–mails fora de horários aceitáveis não traz retorno algum.

2) Quem disse que não se pode ligar o som e ouvir música? Bom, se é para se distrair, melhor mesmo que não o faça, mas saiba que existem empresas que permitem que se ouça música enquanto trabalha. Se você gosta e pode realizar suas tarefas com o som ligado, por que não?! É uma ótima maneira de trabalhar em casa sem a sensação de que se está sozinho ou isolado. Faça sua trilha–sonora, mas seja prudente!

3) Um bom lugar na casa é tudo o que se precisa, na prática. Se tiver que ser um canto em seu quarto, tudo bem, mas que seja um local agradável, bem arrumado e preparado para o trabalho. Alguns preferem um quarto à parte na casa, como um escritório mesmo, enquanto outros apenas adaptam o próprio quarto ou a sala da casa com um espaço para o home–office. O que importa é que seja um lugar seu, onde se fique à vontade e se tenha vontade de estar para trabalhar.

4) Dividir o “estar em casa” do “trabalhar em casa” é algo fundamental e que tem a ver com aquilo já mencionado, dos horários para o trabalho. Se você mora com outras pessoas, faça–os saber que em determinada hora você está em casa, mas não disponível para tudo, apenas trabalhando. Se tiver que ter inclusive outra linha telefônica para facilitar as coisas, melhor.

5) O escritório ideal não existe! Apenas o que for compatível com seu bolso, suas necessidades e seu trabalho é que deve existir. Portanto, baseie seu home–office naquilo que realmente é mais importante para você (e não para as revistas de decoração!): se um computador com impressora ou um notebook ou um handheld, celular, fax, scanner, móveis, estantes etc. É só pensar no que é preciso ter para fazer o trabalho: uns precisam de muito, outros, de muito pouco.

6) Os gastos, geralmente, são todos seus. Assim, é altamente recomendável ser capaz de otimizar o que se tem para o trabalho de forma a não extrapolar orçamentos ou seus próprios custos. Com as facilidades tecnológicas de hoje, normalmente se resolve tudo via e–mail ou pela internet, bem como planos de VoIP para quem faz muitas chamadas interurbanas e banda larga para acesso à internet. São detalhes que têm um peso enorme nas contas de um home–office.

7) Sair de casa também é essencial. Nada de apenas ficar trabalhando, usando o PC ou a internet e vendo DVDs no sofá: faz bem à mente, ao corpo e ao espírito dar umas voltas de vez em quando, ver o que está acontecendo, ir ao cinema, conversar com amigos e coisas do tipo. Isolamento faz mal à saúde!

8) Por fim, seja o mesmo profissional de sempre: dedicado, responsável, antenado e preocupado em fazer o melhor por seus clientes. Afinal, mais do que em qualquer outro momento, é seu nome e sua reputação profissional que estão em evidência.

autor: Alexandre Bobeda
fonte: webinsider

Posted in:

Um comentário

  1. Show x1.000.000.000 … há tempos venho buscando informações e ou texto que me fizessem parar e pensar um pouco sobre minha vida maluca.

    Obrigado x2.000.000.000 !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *