A manipulação genética da marca

“Zé Marquinha, como seu próprio nome já diz, é mais uma das tantas “marcas” que nascem no contexto do amadorismo, do “faço eu mesmo” daqueles empresários que insistem em se manter alheios à importância da comunicação corporativa. As decisões impensadas dos pais do Zé, sempre o submetem a situações constrangedoras, pondo em risco seu desenvolvimento.

ROI DE BRANDING • @WBellarco

Aos “pais de marquinhas”, um apelo: Não assumam esta ingrata paternidade. E aos especialistas desconsolados, um lembrete: A todo o profissional já foi negada a guarda de pelo menos uma de suas crianças.

Então sorte ao Zé, que é só dela que ele dependerá!

ilustração: Elias Júnior
fonte: Acontecendo Aqui

Postado em:

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *