Produza conteúdos institucionais que funcionem

Procure estruturar o site da empresa para que o visitante encontre o que procure. O processo começa não com a emissão da mensagem, mas sim com a pergunta do receptor.

Um bom texto institucional para web é como uma boa conversa. Baseado em perguntas e respostas. É assim porque, quando alguém visita um site ou faz uma busca na internet, tem sempre uma pergunta ou um tópico em mente.

A primeira coisa que o internauta faz ao chegar em um site é procurar por palavras específicas, que vão dar a ele indícios de que aquilo que ele está procurando se encontra no seu site.

É como se aquele princípio básico que aprendemos em comunicação, de emissor, receptor, código, mensagem e canal fosse invertido, começando o processo, não com a emissão da mensagem, mas sim com a pergunta do receptor.

null

O desafio então para produzir um conteúdo atrativo é tentar prever e responder essas perguntas.

Use personas para criar conteúdos interessantes

Uma forma interessante para tentar simular os interesses do seu público-alvo e as possíveis perguntas que ele faria é o desenvolvimento de personas. O uso de personas é originado na psicologia e foi popularizado no design por Alice Cooper.

É útil no planejamento e leiaute, mas pode ser especialmente interessante de ser utilizado quando estamos produzindo a carga inicial de conteúdo de um site, na fase em que fazemos o inventário de conteúdos a serem distribuídos dentro da arquitetura de informação.

A criação de personas consiste em inventar pessoas fictícias que representem cada um de seus públicos, com base no conhecimento que você já tem do perfil dessas pessoas.

Devem incluir nome, foto, idade, valores, frases, nível de intimidade com a internet, interesses, para que essa pessoa usa internet, objetivos e o que da informação que pode haver no seu site interessa a ela e você terá facilidade em pensar que perguntas ela faria.

Ajuda ter em mãos pesquisas que avaliem os hábitos do público que queremos atingir.

Assim fica mais fácil produzir o conteúdo com foco no interesse e nas necessidades do público, pensando nas respostas que essa pessoa daria. Quais os interesses dela no site? Que área visitaria? Como seria o seu comportamento? Essas são algumas das perguntas que ficam mais fáceis de responder com o uso de personas.

Direto ao ponto, sem espantar

Escolher as palavras certas e, acima de tudo, deixar o leitor ir direto ao que interessa, sem obrigá-lo a seguir um caminho cheio de textos. Este é um desafio de desapego para quem gosta de escrever, mas é a grande diferença entre a redação para sites e os conteúdos tradicionais.

O público na web não quer ler um monte de coisa até chegar naquilo que está buscando. Ele se acostumou a fazer perguntas para o Google e chegar direto no que interessa, então, se tiver que perder tempo lendo um monte de coisa, o mais provável é que ele desista e vá procurar em outro lugar.

Por isso, ao quebrar a informação em hiperlinks, você permite ao leitor atingir seu objetivo sem perda de tempo. É importante lembrar também que uma das coisas que mais afugenta o leitor na web são as massas sólidas de texto.

Ao quebrar os parágrafos lembre de fazer parágrafos curtos, colocar intertítulos e imagens e evitar a formatação justificada, para que o texto se torne amigável.

null

Algumas possibilidades são:

– Quebrar a informação nas perguntas possíveis que o usuário pode fazer
– Separar a informação em tarefas que ele precise executar em sequência
– Segmentar por público ou temática
– Ordenar cronologicamente

Esse artigo foi inspirado no livro Letting go of the words, de Janice Redish, que eu recomendo fortemente a conteúdistas e jornalistas que querem se atualizar.

autora: Beatriz Lins
fonte: [Webinsider]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *