5 lições para o varejo às vésperas do Natal

  1. 5 lições para o varejo às vésperas do Natal




A Black Friday, que aconteceu no último dia 28, passou com erros e acertos. De promoções populares à problemas com entregas e acessibilidade, varejistas e marcas brasileiras aprenderam algumas lições.

Mas eles já precisam deixar isso para trás e pensar nas promoções e vendas para o Natal. Afinal, pode ser época de vacas magras: estudos já mostraram que os brasileiros pretendem comprar menos nesse fim de ano.

Pensando nisso, a equipe de vendas do Google Brasil elaborou uma lista com cinco lições de Marketing que ficaram da Black Friday e que podem ajudar os varejistas nas vendas natalinas.

Confira:

1. Quanto antes você começar sua campanha, melhor

Tal como a Black Friday, que começou a gerar interesse entre os consumidores dois meses antes do evento, em setembro, as compras de Natal já estão na lista de prioridades dos compradores desde outubro passado.

Assim, os varejistas já precisam estar com suas campanhas promocionais a todo vapor. Uma boa estratégia é aumentar o volume de ofertas, o que ajuda a atrair mais audiência para o site – e potenciais compradores.

“É importante também estar com o estoque em dia e ter um plano de logística para fazer as entregas a tempo para o Natal”, afirma Claudia Sciama, diretora de negócios para Varejo do Google Brasil.

2. Fidelize seu consumidor

Pautada por descontos de até 90%, a quinta edição da versão nacional da Black Friday mostrou que o evento conseguiu se consolidar. Os consumidores realizaram mais de dois milhões de pedidos pela internet.

De acordo com o Google, 30% dos consumidores que realizam uma compra na Black Friday voltam ao mesmo site para as compras de Natal.

“Os varejistas têm sua grande oportunidade de fidelizar esses consumidores apostando num atendimento de qualidade e em ofertas valiosas”, diz Claudia Sciama.

3. Esteja onde seu cliente está

A Black Friday comprovou a importância do smartphone no comportamento de compra. Em 2013, 1 em cada 20 compras online foram realizadas pelo celular.

Na Black Friday deste ano, é provável que esse número tenha dobrado. O celular foi responsável por 29% das buscas pelo evento na web.

No Natal, essa tendência de uso de smartphones não será diferente. Portanto, verifique se o seu site oferece uma boa experiência mobile aos seus consumidores.

4. Entenda o perfil de compras de cada data

O impulso principal da Black Friday é a barganha. Em geral, as compras da data se resumem a ofertas e itens pessoais.

Já o comportamento de compras para o Natal é o de presentear. Por essa razão, é importante pensar em produtos com um tíquete médio do tamanho do bolso do consumidor.

5. Pense nas vendas para além do Natal

Os varejistas souberam aproveitar a Black Friday para impulsionar as vendas de fim de ano. Da mesma forma, a campanha de Natal pode abranger as compras para o Ano Novo e as férias de janeiro.

“Passado o Natal, os consumidores já esperam as grandes liquidações, portanto o fluxo de vendas pode se manter com um bom mix de ofertas”, explica Claudia.

autor: Guilherme Dearo
fonte: Exame – Marketing

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *