20 perguntas para fazer a um cliente quando for desenhar um logo

O designer norte-americano Brian Hoff, da empresa de design The Design Cubicle mostra, de uma forma objetiva, como proceder da melhor forma para fazer uma criação de um logotipo.

Newsletter

Se você deseja receber as novidades do IFDBlog por email, insira o seu logo abaixo:
 

Antes de começar um projeto, é essencial captar corretamente toda e qualquer informação que o cliente passe. Segundo o designer, são 20 perguntas que ajudam a entender melhor o cliente e suas expectativas, produzindo assim, um trabalho mais adequado ao cliente.

Abaixo, traduzimos a lista. O artigo original (em inglês) pode ser encontrado aqui.

Perguntas relacionadas à empresa:

1) Como você descreveria a sua empresa e/ou produtos?

2) Quais são os objetivos da usa empresa a longo prazo?

3) Porque vocês querem um logo novo? O que vocês esperam do novo logotipo? (esta última no caso de a empresa já ter um logo).
Esta questão ajuda a entender o problema.

4) Quem são seus principais concorrentes?
Clientes costumam dar informações importantes sobre o mercado e a concorrência.

5) Em que você é diferente dos seus concorrentes?

6) Qual é a faixa etária do seu público-alvo?
Este tipo de informação ajuda a ter uma impressão geral do trabalho.

Perguntas relacionadas ao projeto:

7) A empresa tem um lema? Se sim, você gostaria que ele fosse usado com o logo?

8 ) Você tem alguma imagem específica para o seu logo?

9) Você tem alguma preferência por cores, ou a marca já possui cores?

10) Há cores que você gostaria que não fossem utilizadas?

11) Que qualidades descrevem o seu logo de melhor forma?

12) Qual o sentimento ou mensagem você gostaria de passar com o seu logo?

13) Como você gostaria que seu logo fosse escrito?
Por exemplo, the design cubicle ou thedesigncubicle

14) Como você gostaria que fosse a tipografia?
Negrito, itálico, manuscrito, personalizado

15) Onde o seu logo será usado?
Internet, mídia impressa etc

16) Onde o seu logo será usado na maior parte do tempo?
Normalmente na internet, logos horizontais costumam ser melhores

17) Qual o prazo ou data limite para realização do trabalho?

18) Budget?
É sempre bom falar de valores antes de iniciar o trabalho

19) Você gostaria de adicionar algum serviço adicional à criação do seu logo?
exemplo: cartões de visitas, envelopes, papéis de carta etc

20) Quais logos lhe chamam a atenção e por quê?
Este item pode vir com exemplo visuais e links externos

O designer deixa também um espaço extra para que o cliente coloque informações e detalhes adicionais. Além disso, ele lembra que o designer gráfico é um solucionador de problemas e que fazer perguntas ao cliente pode ser um grande começo.

fonte: Blog da Revista Embalagem Marca

NOTA IFD: Gente só uma dica, mais um lembrete para os novatos, estas perguntas devem ser feitas num bate papo com o cliente, no meio da conversa PÁ surge a pergunta e aí você vai tirando as informações do cliente, além do mais, muita pergunta acima o cliente nem vai saber responder de primeira e aí conta o seu jeito e conhecimento de conseguir arrancar a resposta do cliente e inclusive você mesmo fazer uma pesquisa de mercado dentro do segmento do cliente na região em que ele atua (um trabalho mais de profissionais de marketing do que designers).

PELO AMOR DE DEUS, não faça igual a sites tosqueiras e *amadores que deixam um questionário simplificado no site ou enviam as perguntas para o cliente responder…isso está fora de cogitação ok!

Briefing bem passado é o que sacode a criação, e um bom briefing para desenvolvimento de um bom trabalho não é resposta de questionário.

Postado em:

12 Comentários

    • Não sei se ajudou (fiquei confusa no ponto de interrogação)… mas esclarecendo, isso não forma um briefing, tá! 😉 briefing é muuuitooo mais do que estas perguntas, Abner. Aqui no blog já tem sobre isso, clique aqui.

  1. Muito bom o questionário, mas dizer que é tosqueira enviar perguntas pro cliente não concordo. Depende muito da situação, do momento e do tamanho da sua empresa. Se você for bater papo com um possível cliente ele pode tomar sua manhã toda, sua tarde toda e no final não fechar o serviço. Sem contar todo o custo de deslocamento pra encontrar com um cliente do outro lado da cidade. Com o questionário não, ele me passa tudo que eu quero saber de forma direta e conversamos somente sobre as possíveis dúvidas, e acredite, muitas das vezes nem acontecem. Mas parabéns pelo post.

    • “Sem contar todo o custo de deslocamento pra encontrar com um cliente do outro lado da cidade.” Estamos na era da internet, e chamadas de videos gratuitas, não se esqueça 😉

      • Nem todo mundo é avançado na tecnologia como a maioria, e cada um sabe qual é a melhor forma de lidar com o seu cliente. Já pensou que um senhor que deseja inovar a logomarca da sua empresa, seja ela uma loja de brinquedos ou talvez uma padaria, possa não saber atender uma chamada de vídeo? Devemos nos adaptar na comunicação com o cliente de acordo com o que ele compreende.

        Não é “tosqueiro e muito menos PODRE” o profissional que identifica o envio do questionário, a melhor forma de comunicação entre ele e o cliente.

        • Tamiris, antes de tudo saiba que este tópico é de 2009. Estou aqui pelo painel de admin do site te respondendo. Certamente você está respondendo algo meu que tem alguns anos escrito. Vou apenas me focar no comentário que você fez.

          LOGOMARCA é um neologismo, tem um tópico aqui no blog que explica detalhadamente sobre isso, recomendo fortemente que leia.

          Tem pessoas que passam anos atendendo um cliente e ainda não sabem lidar com ele. Sim, obviamente um atendimento simplificado deve ser feito de acordo com as limitações cognitivas, habilidades tecnológicas e outros afins do cliente. Falei o contrário? Não me recordo se falei, acredito que não! Sei que telefone ainda existe 😉 inclusive alguns softwares permitem também ligação não só por vídeo como para telefones fixos (Skype é um deles, além do que é mais utilizado no Brasil, o WhatsApp), fora as ene outras formas de falar adequadamente com o cliente para conseguir o que é realmente necessário para se desenvolver um bom trabalho.

          O profissional deve entender e saber o meio mais adequado para fazer determinado trabalho. Se você não sabe qual trabalho é este, nem o que ele envolve, aí sim é problema. Não é uma pesquisa no Google para saber o que perguntar para seu cliente para desenvolver um logotipo e ainda mandar o que encontrou como questionário para ele responder por email/site que fará você desenvolver algo profissional e adequado para a necessidade dele, será amador. Acredite, será! Como esta claro no texto, ele é uma AJUDA, um quebra galho e não a solução para desenvolver um projeto bem feito e profissional, pois ele exige mais que isso, mais do que está aí e mais que outros vários questionários do tipo que já vi pela internet há anos.

          Certamente você pegou o “bonde” andando de um papo que deve ter vindo de outro assunto no dia que escrevi e acabou ficando limitada na compreensão do que foi colocado ou não sabe de fato tudo o que envolve a execução do trabalho em questão.

          Para a elaboração de um BRIEFING para daí sim então partir para o desenvolvimento de um projeto, ele não deve ser feito mediante a um questionário simplificado onde é o cliente que tem que responder sozinho – até porque muitas vezes ele nem saberá responder algumas e aí entra todo conhecimento que você adquiriu na faculdade/universidade para poder entender e desenvolver um bom trabalho. Recomendo que leia sobre briefing aqui no blog, tem um bem detalhado que menciona estudo da concorrência, pesquisa, histórico, diferenciais entre outras coisas. Se você é iniciante ou não fez faculdade acredito que terá dificuldade em entendê-lo pois são anotações do meu caderno de época de faculdade, mas tem outros mais simples aqui no IFDBlog. Enfim, uma das primeiras coisas que aprendi é que briefing não é resposta de questionário 😉 e tenho certeza que mesmo nos dias de hoje ainda não é.

          Outro detalhe que acho interessante ressaltar no que comentou pois foi a primeira coisa que dei uma parada (engasgada) de ler depois da palavra logomarca > Não é porque é um “SENHOR” que ele não sabe lidar com tecnologia. Acho compreensível para profissionais que não são da área e pessoas “comuns” de certa forma ter esta ideia estereotipada de ligar idade cronológica com habilidade tecnológica, mas quando isso parte de profissionais da área acho estranho, mas não sei se você é da área, acredito que não, mesmo assim achei interessante destacar este ponto, é sempre bom abrir um pouco a mente em relação a isso.

          No mais agradeço seu comentário, vi que a palavra “profissional PODRE” realmente ficou forte e pesada demais na nota, com certeza veio de algo que aconteceu no dia em que o texto foi publicado há 10 anos atrás e que me deixou exaltada. Substituirei por AMADOR, fica bem mais adequado para o que o texto na nota realmente se propõe 😉

          ps.: ixi escrevi uma bíblia, me empolguei, desculpe 🙁

  2. De maneira nenhuma Sandro, designer até pela sua formação não tem conhecimento nenhum para detalhar nem levantar informações para definir e responder qual o publico alvo de uma empresa muito mesmo seu diferencial no segmento em que atua nem mesmo o que ele pretende/espera com a criação do logotipo quem tem este poder é o marqueteiro da empresa, este sim tem conhecimentos suficientes para levantar estas informações.

    O designer nao responde nada de inicio e sim coleta as informações e as traduz para que seu trabalho reflita as informações recolhidas no cliente, e o que o planejamento estrategico do marketing definiu para a empresa nos proximos anos.

    Empresa séria é assim, agora empresinha é o cliente mesmo que fornece as informações…designer definir publico alvo de empresa e o diferencial da empresa? de jeito nenhum! Designer falando ó sua empresa tem o publico alvo de 25-30 anos 70%masculino 20%feminino decisão de compra do seu produto é a mulher blablab NUNCAAAAA é ruim hein! muitoooooo ruim – rs – Designer vai la fazer pesquisa e estatistica para levantar isso – falow né… Pior deigner vai la e fala em um ano com a criação do logotipo pretendemos a renovação da marca e o crescimento de 10% nas vendas……..ai sim digo cada macaco no seu galho fazendo seu trabalho. E todos em prol do sucesso dele.

  3. O interessante é que o próprio cliente deve responder qual é o seu público alvo, o que sua empresa oferece de diferencial e qual o objetivo que ele espera com a criação de um logotipo.

    Em geral quem procura responder essas questões é o designer, o que eu acho errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *