RIDICULARIZAÇÃO NA TV: A sociedade e o grotesco

Ver, pensar ou refletir a televisão como um instrumento que trabalha a subjetividade é primordial para compreensão do modo como nela operam diferentes gêneros e formatos de programas. Desde que reflexões sobre os conceitos de cultura de massa e cultura elevada foram estabelecidas pelas escolas de Teorias da Comunicação, a formulação dos códigos culturais passou por diversas mudanças em sua originalidade, tendo que se adequar às características de cada época, digo isso no âmbito estético, também na estrutura cognitiva.

Download completo do artigo »
arquivo: pdf | 06 páginas

autor:
Cleyton Douglas Vital
fonte:

Um comentário

  1. De fato, a TV trabalha diretamente com o nosso subconsciente. Isso influencia diretamente a sua programação. Somente ao analisarmos a TV por esse prisma, poderemos compreender o fenômeno que ela se tornou, desde sua chegada, no século passado. Seu modelo nunca foi fechado – muito pelo contrário-, soube como poucos se adaptar a diferentes culturas e períodos, sem se tornar obsoleta. Ao menos, até então.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *