No tempo que até Papai Noel vendia cigarros





No mês passado aconteceu uma exposição super interessante em São Paulo (pena que só vi agora), a exposição “Propagandas de Cigarro – Como a Indústria do Fumo Enganou as Pessoas”, trouxe a publicidade quase inacreditável que foi veiculada naquela época. Papai Noel manda você fumar. Médicos dizem que, se não consegue parar, o melhor a fazer é usar Marlboro. Para evitar dentes amarelos, dentistas receitam cigarros com filtro. Até bebês participam das propagandas: “Nossa, mamãe, você gosta mesmo do seu Marlboro”. A mãe explica: “Sim, você nunca sente que fumou demais. É o milagre do Marlboro!”.

Foram expostas 63 reproduções de campanhas publicitárias veiculadas na imprensa e na TV dos Estados Unidos entre 1920 e 1950, colhidas pelos professores Robert Jackler, que é médico, e Robert Proctor, historiador da ciência, ambos da Universidade Stanford, nos Estados Unidos.

Algumas peças, de uma campanha que defende o cigarro como elemento importante para a pessoa manter a boa forma, até poderiam fazer sucesso hoje. “Para manter um corpo esbelto, ninguém pode negar. Alcance um Lucky ao invés de um doce”, prega o anúncio do Lucky Strike. “Evite aquela papada. Perder a boa forma é mais fácil do que você imagina. Quando sentir vontade (de comer doce, açúcar), alcance um Lucky”, ensinava outro.

“Essa coisa da boa forma contra o doce pegou tanto que a resposta foi a invenção do cigarrinho de chocolate” observa Bob Costa, diretor da agência NovaS/B, que ano passado fez a campanha para o Dia Mundial Sem Tabaco para a Organização Mundial da Saúde e trouxe a exposição para o Brasil.

Segundo ele, as campanhas dos anos 30 até os 50 tinham como atração três eixos: as crianças e a família, a figura do médico e o glamour. Uma propaganda de Lucky Strike afirma: “20.679 médicos dizem que Lucky é menos irritante”, referindo-se à garganta. Peça do Carriel apregoa: “Mais médicos fumam Camel do que qualquer outra marca”.

“A exposição mostra como a indústria do cigarro mascarou um problema que hoje sabemos o quanto é grave. No século 20, mais de 100 milhões de pessoas morreram por causa de doenças causadas pelo cigarro, número dez vezes maior que todas as guerras. No século XXI, será um bilhão de mortos. Isso quer dizer que 10 mil pessoas morrem diariamente por causa do cigarro” observa o publicitário Bob Costa.

Veja mais algumas imagens da exposição, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *