Mídias sociais ainda são vistas como canal unilateral pelas empresas





Pesquisa afirma que maioria das companhias ainda enxerga os espaços virtuais como mídias tradicionais, e não como plataforma de relacionamento

As ações de marketing e divulgação de produtos e serviços são as atividades mais realizadas pelas companhias nas mídias sociais. A informação é da pesquisa “Mídias Sociais nas Empresas”, divulgada nesta quinta-feira (27) pela consultoria Deloitte. De acordo com os resultados da pesquisa, as mídias sociais estão ganhando importância junto às empresas, mas ainda são pouco exploradas como ferramentas estratégicas de relacionamento.

O estudo foi realizado com 302 empresas de diferentes segmentos e portes, a maioria delas nacionais e com atuação na região Sudeste. Quase 70% afirmaram utilizar as redes sociais e, desse grupo, 83% o fazem para realizar ações de marketing e divulgação de produtos e serviços. “A popularidade das ações de marketing é natural. As mídias sociais representam um canal de comunicação que atinge milhares de pessoas e a um baixo custo”, afirma Fabio Cipriani, gerente responsável pela prática de consultoria em Mídias Sociais da Deloitte.

Outra informação da pesquisa é que 46% das empresas atribuem importância às redes como ferramenta de captura de oportunidades, 43% como canal de suporte aos clientes e 17% como possibilidade de desenvolvimento de inovação por meio de inteligência coletiva. Em conjunto com a informação anterior, esses dados atestam que as mídias sociais são mais vistas pelas empresas como mídias tradicionais do que como plataforma de relacionamento. “Vimos que dificilmente a empresa envolve outros processos que poderiam gerar muitos benefícios, como a captura de pedidos, suporte ao cliente e integração de equipes”, afirma Cipriani.

Quem toma conta das contas
Em 73% das empresas, as ações ligadas às ferramentas sociais são organizadas pelo departamento de marketing. Em poucos casos o departamento de comunicação se envolve com o assunto (6%), e em menos ainda a diretoria o faz (5%). Apenas 26% dos pesquisados afirmaram que há mais de um departamento envolvido com mídias sociais em suas empresas.

A presença de um funcionário para cuidar especificamente das redes solucionaria os dois maiores obstáculos alegados pelas empresas na execução de suas estratégias. Quase metade delas afirma que o maior impedimento é a falta de tempo, e 38% dizem ser a mobilização das pessoas. “A falta de tempo assinalada por grande parte das empresas requer uma avaliação sobre a necessidade de se ter um profissional, uma equipe dedicada ou terceirizar o serviço para cuidar das iniciativas em mídias sociais”, afirma Cipriani.

Outro dado que mostra uma visão antiquada com relação às mídias sociais é a preocupação com resultados operacionais, quantitativos, em oposição a índices qualitativos. A maioria das empresas, 71%, dá importância a número de usuários ativos e visitantes, 63% a pageviews e 59% a frequência de visitas. Por outro lado, poucas acompanham o resultado das ações com medições como retorno sobre investimento (18%) ou métricas estratégicas, como valor da marca (24%).

O estudo revelou ainda que as redes sociais (como Orkut, Facebook, redes sociais internas) são as ferramentas mais utilizadas pelas empresas, com 81%. Os microblogs (Twitter, Yammer, etc) aparecem em seguida com 79%, em um ritmo crescente que deve ultrapassar as redes sociais. O blog corporativo, outra possibilidade, é usado por 70% das empresas. Na divisão por setores, os que mais utilizam as mídias sociais são o de serviços (38,1%) e de varejo, bens de consumo & transporte (20%).

fonte: PEGN | Pequenas Empresas Grandes Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *