A era do consumidor

Estamos vivendo a era do consumidor. Mais do que nunca, profissionais da comunicação têm que mudar seu foco e passar a entender o que motiva os diversos públicos a consumirem produtos, serviços, conceitos, idéias. Se no passado recente a televisão era hegemônica e qualquer campanha de sucesso obrigatoriamente tinha que incluir essa mídia, nos dias de hoje as audiências estão dispersas. As mídias se multiplicaram numa velocidade impressionante. O consumidor tem um acesso ilimitado à informação, passou de receptor a produtor de conteúdos e tem o poder de consolidar ou acabar com a reputação de uma marca.

TV, dos jornais? Não necessariamente. Teremos que descobrir onde está a atenção do nosso público e achar o melhor formato de falar com ele, seja em casa, no carro, no trabalho, no lazer. Em São Paulo, onde a lei Cidade Limpa retirou out doors das ruas, empresas investem em ações inovadoras, transformando em mídia o que antes era apenas espaço de circulação.
Pensar diferente não quer dizer abandonar os formatos bem sucedidos, mas apresentar ao cliente as respostas que ele busca para falar de maneira eficaz com seus públicos. Investir em mídia de massa continua importante, mas é possível personalizar mensagens, regionalizar conteúdos, investir em formatos de mídia que façam com que o consumidor sinta-se exclusivo.

Nesta edição de “Os especialistas da comunicação” vamos discutir novos caminhos e alternativas de comunicação mercadológica e institucional. Trazemos um pouco das reflexões dos principais profissionais do país, discutidas durante o IV Congresso Brasileiro de Publicidade, realizado em São Paulo. Uma outra matéria apresenta alguns conceitos importantes de comunicação corporativa, gestão do relacionamento com público interno, gestão de crises, relacionamento com governos, entre outras ferramentas que contribuem para a consolidação da imagem das organizações. O mercado é promissor e exige um pensamento diferenciado, fora do quadrado das soluções padronizadas da comunicação de marketing.

Pensar fora do quadrado é o único caminho possível para o futuro da comunicação. O que funcionou até agora pode deixar de funcionar. O consumidor pode tirar uma campanha do ar, provocar mudança nos processos da empresa, promover o sucesso de uma campanha. Essa nova era, denominada “Idade Mídia” pelo jornalista Joelmir Betting, está apenas começando e sua velocidade acelerada vai exigir muito de todos nós. Que tal começar a se preparar?

autor: Célio Cardoso
fonte: Revista Meio&Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *