14 propagandas que mudaram o mundo

  1. 14 propagandas que mudaram o mundo




O primeiro anúncio impresso dos Estados Unidos foi publicado em 1704. Desde então, a indústria da propaganda passou por transformações significativas.

Com o passar dos anos, as campanhas mudaram e se modernizaram. Para relembrar um pouco do legado da propaganda que moldou a cultura moderna, o site Business Insider compilou 14 anúncios que mudaram o mundo.

Confira:

1907 – Suco de Laranja Sunkist

Pode parecer improvável, mas quem ganhava dinheiro vendendo laranja na Califórnia do começo do século XX teve de “ensinar” o consumidor a espremê-la para fazer suco. O motivo: as pessoas não queriam comprar a quantidade de laranjas que era cultivada porque não precisavam de tanta fruta.

A solução foi da agência Lord & Thomas, que decidiu colocar todos os cultivadores da fruta sob uma só marca: Sunkist.

1916 – I WANT YOU

O Tio Sam mais famoso da história é o protagonista desta campanha do governo norte-americano para recrutar jovens para a I Guerra Mundial.

1942 – We Can Do It!

Muitas vezes uma campanha publicitária ganha significados que, originalmente, não estavam planejados. Foi o que aconteceu com este anúncio da Westinghouse Electric. A empresa divulgou a peça internamento no período da II Guerra Mundial. O objetivo era inspirar as trabalhadoras da companhia.

Nos anos 70 e 80, a imagem ganhou outros significados e acabou virando símbolo do feminismo.

1947 – Diamonds Are Forever

Eleito o melhor slogan do século XX pela revista especializada Advertising Age, “Diamonds Are Forever” (“Diamantes São Para Sempre”) da De Beers praticamente ensinou os americanos a comprarem um anel de noivado com um diamante.

Criado pela agência N.W. Ayer, o slogan acompanha todas as peças da empresa desde 1948.

1952 – Give Yourself A Coffee Break!

Assim como o suco de laranja, outro hábito que a propaganda ajudou a criar foi a pausa para o cafezinho. A campanha da Pan-American Coffee Bureau praticamente criou o ‘break’ para tomar a bebida no local de trabalho.

1954 – The Marlboro Man

O Marlboro Man ou “Caubói do Marlboro” consolidou o cigarro como um produto para homens decididos. Hoje em dia, talvez você se surpreenda em saber que a marca era considerada cigarro de mulher.

A criação foi da agência de publicidade Leo Burnett Worldwide.

1959 – Think Small

Vender o “carro do Hitler” para o público norte-americano não era tarefa fácil. Isso em 1959, quando eles estavam com as lembranças da II Guerra Mundial frescas na memória. Além disso, eles gostavam (e ainda gostam) de pensar grande.

A solução: pensar pequeno, vender o “segundo” carro das famílias norte-americanas.

1964 – Daisy

Lyndon Baines Johnson concorria à presidência dos Estados Unidos contra o republicano Barry Goldwater.

Johnson queria mostrar os riscos que uma eleição favorável a Goldwater poderia trazer ao povo americano. Para isso, utilizou um anúncio com forte apelo emocional traçando um paralelo entre a inocência de uma criança e a catástrofe social que a guerra representa.

Um marco na história da propaganda política. Johnson venceu já que ficava difícil votar num candidato que poderia trazer ao país o que o filme abaixo demonstra.

1983 – Friends Don’t Let Friends Drive Drunk

Amigos não deixam outros amigos dirigirem bêbados. A frase pode soar normal nos dias de hoje, mas começou a se popularizar nos anos 80, com uma campanha do Ad Council.

1984 – Apple

Se até hoje a Apple é vista como uma das empresas mais criativas do mundo, muito se deve ao filme abaixo, dirigido por Ridley Scott e veiculado no Super Bowl de 1984.

Inspirado na obra de George Orwell, que relata uma metáfora pessimista para o futuro da humanidade dominada pelo totalitarismo, a Apple faz uma analogia como se o “grande irmão” citado no livro fosse a IBM, hegemônica nos negócios de computação à época. O diretor é o mesmo do clássico do cinema Blade Runner. O comercial recebeu diversos prêmios, entre eles o de melhor peça veiculada durante o Super Bowl e um Grand Prix no Festival de Cannes em 1984.

1988 – Just do it

A Wieden+Kennedy criou um dos slogans mais marcantes da história da publicidade. O “Just Do It”, da Nike, se tornou marca registrada da empresa e segue como mote de suas campanhas até hoje.

Dan Wieden, o criador do conceito, já disse que diversas pessoas escrevem a ele relatando viradas em suas histórias inspiradas pelo mote. Fim de relacionamentos problemáticos, superações diversas, entre outras conquistas empurradas pelo “Just Do It”. De alguma forma, a frase mudou suas vidas.

O filme abaixo foi o primeiro da série.

1988 – Joe Camel

Se o Marlboro Man ajudou a popularizar o tabaco, Joe Camel, mascote da marca Camel, ficou tão popular que causou a criação de diversas medidas legais para que o cigarro fosse proibido, já que o garoto propaganda fictício angariava, principalmente, os mais jovens.

À época de sua criação, a empresa R.J. Reynolds quis celebrar seus 75 anos com uma campanha de fácil identificação.

1992 – A Guide to Casual Businesswear

Uma campanha da Levi Strauss & Co. ajudou a definir o traje casual no ambiente de trabalho e, para a felicidade da marca, com roupas da própria Levi’s.

Em 1992, a marca lançou um guia definitivo para roupas casuais em ambientes sérios. O resultado foi uma série de pedido de consultorias e um número recorde de vendas. Em 1995, por exemplo, a marca atingiu a cifra de US$ 6.2 bilhões.

2012 – Red Bull Stratos

Em outubro de 2012, Felix Baumgartner saltou da estratosfera da Terra num vídeo promovido pela Red Bull.

De uma só vez, Baumgartner se tornou a primeira pessoa a quebrar a barreira do som sem a ajuda de qualquer veículo e a Red Bull mudou a comunicação das marcas para sempre. Um total de oito milhões de pessoas assistiram o salto ao vivo e as redes sociais explodiram com o evento.

Foi o primeiro comercial a não interromper a atração. Ele FOI a atração.

fonte: Adnews

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *