12 crianças que não existiriam na propaganda de hoje

  1. 12 crianças que não existiriam na propaganda de hoje




A propaganda contemporânea vive alguns dilemas. São muitos meios para planejar uma campanha, a dispersão do consumidor é maior, entre outros. Mas outro problema é o seguinte: o mundo atual, particularmente o Brasil, mudou sua mentalidade.

Para alguns, a sociedade amadureceu e entendeu que certos comportamentos midiáticos são maléficos para o coletivo e nutrem comportamentos como o bullying. Para outros, o mundo está mais careta e a patrulha do politicamente correto exagera em alguns pontos (aliás, o Adnews já discutiu o assunto aqui).

Pensando nisso e com a aproximação do Dia das Crianças, comemorado no próximo dia 12 de outubro, o Adnews resolveu separar 12 pequenos que, possivelmente, não existiriam na propaganda atual.

Confira:

Eu tenho, você não tem!

Este é um clássico de exagero. O filme é realmente de mau gosto e causou polêmica quando foi lançado.

Meninos em plena puberdade num anúncio da Garoto

A maior prova que este filme, criado pela W/Brasil, dificilmente seria veiculado nos dias de hoje é que o próprio Youtube restringiu o acesso ao anúncio.

Criançada com jeito de adulto?

Será que este comercial de Sundown com esta garotinha desfilando pela praia e o garoto declamando algumas palavras assanhadas para a menina iria ao ar hoje em dia?

Compre batom

Um clássico exemplo de comercial tão polêmico que até hoje é citado como uma amostra de abordagem duvidosa.

Obra-prima

Um clássico da propaganda brasileira que, certamente, causaria polêmica nos dias atuais. A menininha nua ao lado da mãe geraria bastante discussões.

Caloi

Inspiradas pelo garoto no vídeo abaixo, muitos infernizaram a vida de seus pais com bilhetinhos pela casa na busca incessante pela primeira bicicleta.

Se descobrindo mulher

O próprio Olivetto já disse que exibir este filme nos dias de hoje seria “impensável”.

Olhar

E se a garotinha do filme não iria ao ar, o garotinho do outdoor também cairia.

Cola

Já dá para imaginar as notícias: “Consumidora diz ao Conar que filha escondeu cola na pochete da Melissa”.

Brinquedo sadio?

Aqui o problema não são as crianças, mas o brinquedinho que acabou furando o olho de muita gente.

Aluno com professora?

E este rapazinho que vai continuar a aula com a professora num encontro “hoje à noite”?

Tarado?

O garoto agarrando a moça (sim, é a Fernanda Lima) não pegaria bem nos dias de hoje.

autor: Leonardo Araujo
fonte: Adnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *