Punk Marketing e a propaganda ultrapassada





O publicitário Mark Simmons é um dos autores do polêmico Punk Marketing. No livro, lançado recentemente nos Estados Unidos e sem previsão de chegada ao Brasil, ele prega a necessidade de uma revolução na mentalidade e na atitude das agências e companhias para acompanhar a evolução das novas mídias e do comportamento dos consumidores. Confira a entrevista concedida pelo publicitário ao Portal Exame.

O que significa punk marketing?

O movimento punk foi revolucionário no final dos anos 70, rejeitando toda a cultura musical fabricada na música pop. Pregamos a necessidade de os profissionais de marketing fazerem o mesmo em sua área. Eles precisam romper com os padrões vigentes, pois os meios de comunicação mudaram, assim como o comportamento dos consumidores.

Como é possível romper com os padrões vigentes no mundo do marketing?
Muitas agências estão ainda apegadas à idéia de que os anúncios na TV representam o centro do universo. Hoje, para atingir o público-alvo, você tem de trabalhar muito mais, incluindo no pacote da campanha mídias como YouTube e blogs.

Mas as agências de propaganda não estão atentas a essas mídias digitais?
A maioria dos profissionais de marketing usa a internet, mas não em todo o seu potencial. As campanhas para as mídias digitais ainda são muito primitivas. Um erro comum é forçar o encaixe de uma propaganda desenvolvida para a TV numa mídia como o YouTube. Os consumidores interagem com mídias diferente de modo dramaticamente distintos.

Por que está demorando tanto tempo para as agências utilizarem todo o potencial da internet?
Um erro comum é ficar tentando usar um formato novo mais porque ele parece uma moda passageira e menos porque alcança as pessoas que você deveria alcançar. Montar um website e colocar alguns anúncios não é o suficiente.

Do ponto de vista do impacto nos consumidores, as novas mídias têm alguma vantagem em relação às tradicionais?
A mídia digital é um meio verdadeiramente interativo. Isso representa uma oportunidade para engajar os consumidores de um modo muito mais profundo do que os comerciais de TV.

Existem empresas que já perceberam essa mudança e vêm trabalhando bem com as novas mídias?
Sim. Recentemente, a marca de desodorantes Axe criou uma série animada online chamada City Hunters (“Caçadores da cidade”, em português), com personagens que faziam referências ao universo das fragrâncias. Igualmente interessante foi a idéia do Burger King de lançar games online.

Além de ver menos TV e navegar mais tempo pela internet, quais são as outras características importantes das novas gerações de consumidores?
O que caracteriza a nova geração de consumidores é como eles agora têm o controle do diálogo, de um modo que nunca tiveram antes. Eles decidem quais produtos querem consumir. Escolhem também onde, em que momento e a forma que desejam consumir. As marcas estão acostumadas a competir entre si. Agora, precisam brigar também pela atenção do consumidor.

autora: Taiana Gianini,
fonte: portalexame.abril.com.br

Postado em:

Um comentário

  1. Muito bacana, realmente sabemos de cases de sucesso onde foi preciso investir muito pouco ou quase nada, se comparados com valores de anuncios em TV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *