Os 40 novos perfis da sociedade brasileira

  1. Os 40 novos perfis da sociedade brasileira




A divisão básica por renda, entre classes A a E, pode já não representar devidamente o perfil múltiplo e dinâmico da população brasileira. Um novo estudo criado pela Serasa Experian Marketing Service traz um novo e eficiente método de “dividir” a sociedade brasileira em perfis. São 11 novas “classes” e suas subvisões, totalizando 40 grupos distintos. Chamado de Mosaic Brasil, o modelo desenvolvido pela empresa mostra perfis bem específicos do consumidor brasileiro acima de 18 anos. Foram usados dados socioeconômicos, demográficos, geográficos, comportamentais, de consumo e estilo de vida.

“O novo Mosaic prova que a sociedade não está genericamente dividida apenas em classes A, B, C ou D”, explica o presidente da Serasa Experian, José Luiz Rossi.

Foram usadas mais de 400 variáveis aplicadas a modelos matemáticos e estatísticos para compor os perfis. Dados do Censo, do Pnad, de fontes públicas, de institutos de pesquisa e dados sobre o mercado do próprio Serasa entraram na conta.

Uso prático

Empresas brasileiras já estão usando o novo modelo em seus negócios e nova estratégias.

Segundo Juliana Azuma, superintendente da Serasa, “os perfis revelados permitem que as instituições agreguem essas informações aos seus dados internos para que obtenha uma visão segmentada desses consumidores e possam entender de que forma devem endereçar suas ações, produtos e serviços, criando soluções para os diferentes nichos”.

Destaques

Um dos grupos que se destaca é o D, dos jovens adultos da periferia. É o maior segmento, representando 16,8% da população acima de 18 anos.

Outro perfil de destaque e em crescimento é o dos idosos – com o aumento da expectativa de vida, a pirâmide etária brasileira está mudando.

Veja a seguir os 40 novos perfis da sociedade brasileira.

Abilio Diniz

A – Elites brasileiras

Quem são: Desfrutam de alto padrão de vida. Empresários e executivos bem-sucedidos vivem os confortos permitidos pela alta renda: automóveis de luxo, viagens internacionais, restaurantes e produtos exclusivos. Vivem majoritariamente em regiões ricas e de prestígio nas áreas urbanas. Estão no auge de suas carreiras profissionais ou em momento de significativa ascensão.

Características principais: alta escolaridade, alto padrão de vida, proprietários de empresas e imóveis, casados, adultos acima de 30 anos.

Total da população: 3,79%

Subdivisão: Ricos e influentes – 1,34% / Elite urbana qualificada – 2,45%

Idoso

B – Experientes urbanos de vida confortável

Quem são: Moradores de áreas urbanas, maduros, desfrutando de um bom padrão de vida. Profissionais bem estabelecidos ou já aposentados. Usufruem agora do padrão de vida confortável conquistado com o trabalho.

Características principais: Maiores de 50 anos, urbanos, vivem com suas famílias, trabalhadores da iniciativa privada, escolaridade média.

Total da população: 6,25%

Subdivisão: Idosos tradicionais de alto padrão – 1,37% / A caminho da aposentadoria nas melhores cidades – 2,29% / Assalariados de meia-idade nas grandes cidades – 2,58%

Juventude Trabalhadora

C – Juventude trabalhadora urbana

Quem são: Pessoas jovens, solteiras, moradoras de grandes áreas urbanas, iniciando suas carreiras. A maior parte possui ensino médio, mas com perspectiva de prosseguir com os estudos.

Características principais: Até 35 anos, solteiros e sem filhos em sua maioria, moram em regiões metropolitanas, são antenados, gostam de tecnologia e internet, escolaridade maior que a dos pais.

Total da população: 6,87%

Subdivisão: Construindo uma carreira promissora – 2,01% / Jovens dependentes do interior – 2,81% / Jovens protagonistas da classe média – 2,06%

Rolezinho

D – Jovens da periferia

Quem são: Jovens moradores de zonas periféricas das áreas urbanas ou rurais com poucas oportunidades. As limitações no acesso à educação e na infraestrutura dos bairros onde moram torna mais difícil a rotina desses jovens. Porém, viram a vida melhorar e acreditam em um futuro melhor.

Características principais: Jovens, mulheres chefes de família, solteiros, moradores da periferia, dividem casa com a família, trabalham e ajudam com a renda do lar.

Total da população: 16,80%

Subdivisão: Seguindo a vida na periferia – 3,18% / No coração da periferia – 2,49% / Novos moradores da comunidade – 2,73% / Trabalhadores vizinhos das grandes cidades – 2,69% / Independência na casa dos pais – 3,37% / Juventude de baixa renda do interior urbano – 2,33%

Paulista

E – Adultos urbanos estabelecidos

Quem são: Pessoas urbanas, com boa renda e que atingiram um padrão de vida relativamente confortável. É o brasileiro adulto médio: com boa escolaridade e esforço, eles conquistaram uma vida profissional e financeira estável, ainda que sem luxos. São consumidores mais cautelosos.

Características principais: Entre 30 e 60 anos, vida profissional estável, boa renda, tradicionalistas, chefes de família.

Total da população: 10,24%

Subdivisão: Esticando a renda – 2,07% / Amadurecendo confortavelmente no interior – 2,74% / Ascendentes do bairro – 2,24% / Operários da vila – 3,19%

Bbancos

F – Envelhecendo no século 21

Quem são: Aposentados da classe média, acima de 60 anos, com hábitos arraigados, fruto do aumento da expectativa de vida. Compõem uma nova geração de idosos, fruto das alterações da pirâmide etária brasileira: o aumento significativo da expectativa de vida e o envelhecimento da população do País.

Características principais: Idosos aposentados, urbanos, classe média, tradicionalistas, arredios à tecnologia, controlados financeiramente

Total da população: 9,06%

Subdivisão: Idosos independentes da classe média – 3,09% / “Jovens idosos” urbanos e dinâmicos – 2,92% / Idosos remediados do interior – 3,06%

Empreendedor

G – Donos de negócio

Quem são: Homens (na maioria) que possuem um negócio próprio. O sonho de ser o próprio patrão se tornou realidade para eles. São pequenos e médios empreendedores que investiram suas economias e começam a ver o resultado, ainda que com algumas instabilidades. Vivem com conforto.

Características principais: Homens na maioria, casados, entre 25 e 55 anos, escolaridade de média para alta, proprietários de pequenos e médios negócios.

Total da população: 5,87%

Subdivisão: Empresários estabilizados – 2,14% / Jovens empreendedores e ousados – 1,57% / Pequenos negociantes do interior – 2,16%

Metro

H – Massa trabalhadora urbana

Quem são: Homens e mulheres casados, com baixa remuneração, ocupando atividades associadas ao trabalho manual, vivendo em grandes centros urbanos. Vivem as vantagens e desvantagens das grandes cidades: o acesso ao consumo e à informação e os problemas de mobilidade e alto custo de vida.

Características principais: Trabalhadores, baixa escolaridade, baixa renda, com filhos, emprego formal, muitos moram em favelas.

Total da população: 14,32%

Subdivisão: Carteira assinada nas regiões metropolitanas – 4,30% / Trabalhadores manuais de baixa remuneração – 2,48% / Prestadores de serviços nas regiões metropolitanas – 2,92% / Jovens da informalidade – 3,20% / Comunidades do litoral – 1,42%

Favela

I – Moradores de áreas empobrecidas do Sul e Sudeste

Quem são: Adultos, concentrados na faixa etária entre 36 e 70 anos, morando em locais pobres tanto em grandes cidades, como no interior. Trabalhadores com escolaridade e renda baixas, morando em áreas precárias, com difícil acesso a espaços e serviços públicos. Nos últimos anos, viram seu poder de consumo crescer, indo além das necessidades mais imediatas.

Características principais: Adultos com baixa escolaridade, moradores de zonas pobres, concentrados nas zonas mais populosas.

Total da população: 11,42%

Subdivisão: Envelhecendo com simplicidade – 4,16% / Periferia jovem do interior – 3,60% / Comunidade madura – 3,66%

Zonas Precárias

J – Habitantes de zonas precárias

Quem são: Pessoas pobres, habitando áreas de baixo desenvolvimento econômico, em geral no Nordeste e Norte do País. Homens e mulheres que vivem próximos à linha de pobreza e, por isso, dependem de programas sociais. A baixa renda e escolaridade é agravada por estarem em regiões com acesso restrito a serviços públicos.

Características principais: Pobres, vivendo em condições precárias, concentrados no Norte e Nordeste, baixíssima escolaridade, dependentes de ajuda governamental.

Total da população: 5,99%

Subdivisão: Jovens desprovidos – 2,72% / Adultos vuneráveis – 3,27%

Área Rural

K – Habitantes das áreas rurais

Quem são: Homens e mulheres vivendo em setores censitários classificados como rurais. Idade média em torno de 50 anos, com baixa escolaridade. Moraram a vida toda em áreas rurais e isso define muito sobre eles: o trabalho para o agronegócio ou em lavoura para consumo próprio, a dificuldade para acessar educação e outros serviços públicos e o amor à terra.

Características principais: Baixa renda, rurais, acesso restrito à educação, alguns participam de programas sociais governamentais.

Total da população: 9,38%

Subdivisão: Pedacinho de terra – 1,86% / Jovens trabalhadores do agronegócio – 1,06% / Saudade da roça – 1,23% / Juventude do Norte e Nordeste rural – 2,41% / Idosos de agricultura familiar do Norte e Nordeste – 1,55% / Sertão profundo – 1,27%

autor: Guilherme Dearo
fonte: EXAME

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *