O dilema das redes sociais de nicho

  1. O dilema das redes sociais de nicho




Já faz algum tempo que as redes sociais dominam a internet. Atualmente, é impossível falar sobre distribuição de conteúdo e até posicionamento de marca sem considerar o Facebook, Twitter ou o YouTube. Porém, além das grandes e famosas mídias sociais, existem algumas plataformas menores e especializadas que vêm ganhando força: as redes sociais de nicho.

Trata-se de um ambiente virtual onde um grupo de pessoas com um interesse em comum se reúne. Criado esse “espaço”, elas podem compartilhar informações, comercializar produtos, anunciar serviços, entre outras funcionalidades que a plataforma oferece. Hoje em dia temos redes sociais voltadas para uma infinidade de temas como educação, leitura, esportes, cinema, cervejas e muito mais.

Bom para anunciantes

A grande vantagem das redes sociais de nicho é a possibilidade de reunir um público qualificado, extremamente interessado no tema em comum a todos. Isso cria uma excelente alternativa para anunciantes e empreendedores que ofereçam algum produto ou serviço.

Por exemplo, uma rede social especializada em vegetarianismo pode ser desinteressante para a maioria da população, mas um restaurante que só oferece comidas do tipo achou seu público certeiro.

Foco em um tema

As redes sociais de nicho ainda possibilitam a criação de um ambiente dinâmico, em que os usuários discutem sobre o tema em questão. Isso é importante porque dessas conversas podem nascer soluções interessantes para as empresas que atuam no meio. Ou seja, essas redes sociais são o canal mais apropriado para entender o que o público de determinado segmento pensa, deseja e espera.

Dessa forma, o sucesso das redes de nicho não está em conquistar uma audiência enorme, se difundir pelo mundo e tornar-se conhecida. Uma boa plataforma temática deve atrair seu público específico, gerar conversas e ser útil para as pessoas interessadas naquele assunto.

É por isso que as redes sociais de nicho são uma tendência para os próximos anos: elas se aproveitam do maior defeito das redes tradicionais, que é a multiplicidade de assuntos e a consequente dificuldade no direcionamento da publicidade.

O desafio

Ainda assim, as mídias segmentadas têm alguns desafios a serem superados. Ao mesmo tempo em que se aproveitam da dispersão das grandes redes sociais, elas enfrentam a desleal concorrência de Facebook, Twitter e outras mais.

Muitas pessoas preferem usar as mídias tradicionais, mesmo que existam outras mais específicas para o que procuram. Um exemplo claro: hoje existem várias plataformas para oferecer ou buscar carona. Mas um dos principais meios para quem deseja esse serviço ainda são os grupos do Facebook.

Gerar conversas e negócios

Ter um grande público não é o objetivo das redes temáticas, mas é preciso ter audiência suficiente para gerar conversas ou negócios. Esse é outro obstáculo que essas plataformas precisam enfrentar, já que poucas se popularizaram e caíram nas graças dos usuários.

No entanto, as perspectivas para as redes sociais de nicho são muito boas. Em um mundo com excesso de informações, leva vantagem quem consegue filtrar, segmentar e encontrar o público certeiro. Superando desafios de concorrência e divulgação, a tendência é que as mídias de nicho ganhem força e façam parte do nosso cotidiano.

autor: Dirceu Minetto
fonte: [Webinsider]

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *