Marketing Musical: Como aplicar o marketing no mundo da música?

  1. Marketing Musical: Como aplicar o marketing no mundo da música?




A vida pela música não é fácil. Mais do que entretenimento, hoje ela é uma fantástica ferramenta de formação e consolidação de uma imagem corporativa. Se tornou imprescindível a dedicação em estratégias de marketing cultural em algumas empresas.

O que é música para você? No sentido amplo é a organização temporal de sons e silêncios (pausas). No sentido restrito, é a arte de coordenar e transmitir efeitos sonos, harmoniosos e esteticamente válidos, por voz e instrumentos musicais.

No mercado, você precisa expor sua identidade musical. Torna-la mais humanizada. Ela pode ser intimista e romântica, agressiva ou existencialista. Pode ser autobiográfica ou política. O processo de composição está explicitamente ligado à relação do conceito e ritmo que você optar. Em todos eles, há um público-alvo e a necessidade de um gerenciamento correto para atingi-lo. Porque não é só faze-la; é viver o que você fez. Valorize suas estratégias.

As ações de marketing na música são a base de muitas coisas que já conhecemos. Elas sempre serão desenvolvidas por meios de processos cíclicos e contínuos, passando por uma análise de pontos fracos e fortes, oportunidades e ameaças da sua composição. Por isso, antes de lança-la ao mercado, um planejamento calmo e eficaz faz-se primordial. As suas análises precisam dizer quais preços você almeja e quais o mercado pode oferecer, os meios de divulgação que irá utilizar, e quais táticas usar. Pense. Pesquise. Ir ao estúdio é o último estágio de tudo isso. Todo músico é ansioso e perfeccionista, mas isto não pode implicar em ser desorganizado! (Você precisa “limpar o espaço”, lembra?) Tenha medidas de prazos e qualidade. Qual altura, intensidade e duração? Como músico , você sabe que para transformar os sons em música, é preciso organizá-los através do pensamento musical. Tradicionalmente, este pensamento divide-se em três níveis: melodia, harmonia e ritmo. Estude-os!

Hoje em dia eu ouço muita oportunidade e pouca criatividade. Tá errado isso! Você é um artista tão bom quanto, por isso, não desperdice seu tempo com falta de bons planejamentos. Defina seus recursos (técnicos, humanos e financeiros). Defina seu objetivo. Esteja preparado de todos os lados. Convivo com muitos músicos, e músicos de verdade, que são referenciais pra mim em quesitos de excelência, técnica e dedicação, e sempre nos perguntamos “por que então tantas músicas ruins fazem tanto sucesso?” (Sim, ouso dizer que existe muito lixo sonoro. Pessoas que dizem que são e não são, ou sabem e na verdade não sabem de fato). Bom, existe alguns fatores técnicos, teóricos—musicalmente falando, que implicam nisto, mas quero me abster desta parte e conversar sobre as ações em marketing feitas. São elas os grandes heróis ou vilões da história. Você pode se lançar sem produção alguma por um vídeo caseiro no youtube, ou ser produzido por uma grande equipe de profissionais, mas em ambos, se não houver uma boa gestão, não dará certo. Você não precisa (nem deve!) fazer só porque fulano ou beltrano fez. Pode não parecer, mas o mercado está gritando por coisas novas. Imagine ser capaz de influenciar uma sociedade, uma cultura? Se bem planejado, isto pode acontecer.

É possível fortalecer a imagem de uma empresa por meio de eventos de música? Sabe-se que ela é capaz de gerar efeitos que se espraiam por quatro dimensões da vivência: emocional, cognitiva, somática e relativa à memória. Em função da combinação de tais efeitos, qualquer relação entre indivíduo e empresa mediada pela música tem potencial para influenciar significativamente o consumidor. Os consumidores utilizam a música para satisfazer suas necessidades em suas relações com o mundo. A associação direta entre a intensidade da lembrança da empresa patrocinadora do evento e a preferência por espetáculos de música. Isso é a famosa exposição de marca. A sociedade ganha em cultura e a empresa em reconhecimento.

A supremacia da música é a lembrança, a emoção, o desejo, os sonhos que você irá gerar em seu público. Ser capaz de ativar memórias, lembranças de infância, impulsionar relacionamentos e torna-los mais sadios; são características de que você fez um bom planejamento. Faz o seguinte: feche seus olhos por um instante, respire fundo… Abra-os e me diz, o que você viu? Qual é o seu foco? Aos músicos que veem a música somente sob o ângulo do seus próprios instrumentos (a voz, inclusive), sugiro que se reposicionem em um contexto mais abrangente. E ao público, que em sua maioria escuta a música de uma única forma, sugiro que preste atenção em cada instrumento, individualmente. É apreciar sem moderação.

Hoje, todos cantam, mas poucos são intérpretes e mais raros ainda, são artistas. Tudo o que conversamos aqui foi uma síntese simples de passos que você precisa entender primeiro antes de se lançar, seja individual ou corporativo. Não hesite em questionar algo, ok? Há tanto que podemos conversar sobre isto! Fique à vontade. E o mais importante: seja você. Música é a expressão de ideias.

autor: Arthur Barbosa
fonte: Ideia Marketing

Para Completar

O que o Planejamento pode aprender com o mundo da música?

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *