Entenda quais são os principais tipos de marketing

  1. Entenda quais são os principais tipos de marketing




Marketing é um termo usado para definir muitas estratégias.
Como conceito, marketing se refere a estudos e estratégias criadas para entender, se relacionar e (tentar) ganhar um determinado mercado.

Basicamente, todo esforço ou ação que seja desenvolvida com o objetivo de entender um certo mercado e como melhor atendê-lo vale como definição para a palavra.

Por isso, existem vários tipos e estratégias de marketing por aí, e entender do que cada um se trata é essencial para escolher o que vai ser mais adequado para você.

Nesse artigo, você conhecerá as principais e mais relevantes vertentes de marketing da atualidade, e conseguirá identificar com maior facilidade um que seja compatível com o que você procura.

Os tipos de marketing

Vamos tratar dos tipos mais conhecidos e das estratégias de marketing mais utilizadas.

Vamos lá!

Direto vs. Indireto

Antes de apresentarmos os principais tipos de marketing, vale diferenciar as duas maneiras utilizadas pela área para abordar o público: direta e indiretamente.

A primeira, como sugere o nome, reúne todo tipo de ação que apresenta diretamente ao consumidor o que a empresa tem a oferecer.

Existem várias ferramentas para isso: eventos, promoções, distribuição de flyers, e-mails, telefonemas. Enfim, tudo que funcione para gerar vendas diretas e, portanto, lucro imediato para a empresa.

Em contrapartida, aproximar-se indiretamente de seu consumidor consiste em gerar uma exposição de marca não associada (pelo menos diretamente) a um objetivo direto de venda.

Essa abordagem está mais ligada a gerar percepção de marca, a se fazer conhecida e respeitada pelo público e o mercado.

Aqui entram investimentos em merchandising, anúncios, conteúdos institucionais e, como veremos mais à frente, práticas inbound.

Cada abordagem tem suas vantagens e devem estar alinhadas aos objetivos do negócio.

Por exemplo: se você precisa vender rapidamente o estoque de um determinado produto, não vai adiantar muito investir em uma abordagem indireta.

Da mesma forma, se o objetivo é fazer com que sua marca se torne Top of Mind no seu segmento, distribuir flyers com promoções nas ruas não vai ser sua melhor aposta.

Marketing Digital: inúmeras possibilidades na web

Queridinho de todo mundo nos dias atuais, o Marketing Digital engloba todas as ações e práticas que uma empresa pode realizar no mundo da internet com o objetivo de desenvolver sua marca e otimizar seus resultados.

Seu grande diferencial é o seu potencial de interação: é possível dialogar diretamente com o seu público, dando a ele a oportunidade de manifestar suas opiniões e desejos.

E-commerce, e-mail marketing, blogs, redes sociais e muitos outros recursos entram aqui.

É uma área recente e bastante dinâmica: muitas vezes, o que valia como regra no ano passado não é tão mais verdade hoje.

Por isso, é muito importante que profissionais que queiram investir em marketing digital estejam sempre atualizados e a par dos novos recursos e cursos disponíveis (não, não adianta só ter uma página no Facebook e atualizar o Instagram).

Marketing Social e de Relacionamento: satisfação além do consumo

Marketing nem sempre tem a ver com a venda ou promoção do produto ou serviço oferecido por uma empresa.

Com um mercado cada vez mais atento e que exige posturas adequadas de seus representantes, o Marketing Social surge como ferramenta para empresas se associarem a causas e questões sociais, sem um objetivo direto de venda.

Aqui, vale a promoção de ideias e não produtos: o objetivo é educar o público e promover a conscientização sobre temas de interesse geral, não empresarial.

A ideia é que ao associar a marca a essas ações, sua imagem seja vista positivamente pelo consumidor.

Manter sua base de clientes satisfeita é obrigação de qualquer negócio que queira manter se vivo.

Porém, sustentar essa mesma base engajada e entusiasmada com seu produto é levar as coisas a um outro nível.

E é exatamente isso que o marketing de relacionamento busca: ao oferecer um atendimento e assistência de qualidade.

A empresa cria um relacionamento duradouro com o cliente, pautado em confiança e satisfação.

A partir dessa prática, empresas tem a chance de transformar consumidores em brand advocates — clientes satisfeitos que ajudam na promoção e divulgação de um produto por meio de indicações, reviews, etc — e melhorar ainda mais sua imagem.

Relacionamento não se preocupa apenas com a relação cliente-empresa; é muito importante que dentro de qualquer organização, as pessoas estejam em sintonia para que as coisas funcionem bem.

Para isso, existe o endomarketing: como sugere o nome (endo, em grego, significa “pra dentro”), esse tipo reúnem práticas com um direcionamento interno, que procuram “cuidar” de sua equipe.

A ideia é fazer com que seus funcionários fiquem felizes ao ir trabalhar, porque se sentem parte de algo importante.

Outbound vs. Inbound

Talvez a principal discussão no mundo do marketing hoje em dia seja sobre as metodologias Outbound e Inbound.

Por que? Porque as duas apresentam filosofias opostas quanto à aproximação e conversão de clientes.

Outbound é, para muitos, o marketing do passado: pautadas em interrupções, as técnicas dessa modalidade são infinitas, mas sempre partem da ideia de enviar uma mensagem para todo o mundo, esperando que alguns se interessem no que você está falando (ou melhor, vendendo).

O problema é: ninguém gosta de ser interrompido.

Além disso, a Internet revolucionou o comportamento de compra das pessoas: agora, elas procuram saber informações sobre aquilo que querem comprar e compartilham opiniões sobre experiências que tiveram, criando um mercado muito mais informado e exigente.

Surgiu então, o Inbound Marketing, metodologia baseada em atrair clientes ao oferecê-los algo que os interessa sem esperar nada em troca, diretamente.

A premissa aqui é que se você disponibilizar ao seu público conteúdo e informação que sejam relevantes, ele continuará voltando para seu site e poderá se tornar, algum dia, um cliente fiel.

Rick Burnes, da gigante Hubspot, captura a essência inbound com a seguinte frase:

“Ao invés de impulsionar sua mensagem repetidamente em uma multidão, eles [marqueteiros inbound] atraem clientes altamente qualificados ao seus negócios como um imã.” – Rick Burnes

Como consumidor, este não lhe parece muito mais atrativo?

Dentro do inbound está o Marketing de Conteúdo, que está em ascensão e vêm apresentando resultados cada vez melhores.

A ideia é produzir conteúdo que seja de qualidade, relevância e interesse para o seu público sem esperar que ele compre algo de você.

Ao fazer isso, você se torna referência em sua área e gera uma imagem positiva para sua marca, o que conduzirá consumidores ao seu produto uma hora ou outra.

Essa é, sem dúvidas, uma das principais tendências atuais e que vale a pena acompanhar.

Viral Marketing: a força do “boca-a-boca” em um contexto digital

Se você é usuário de redes sociais, certamente já curtiu um link que foi compartilhado por um amigo, ou enviou algo para alguém que seria interessante para essa pessoa.

O fato é, as pessoas adoram compartilhar com amigos algo que gostaram ou que tenha provocado alguma reação.

Esse tipo de comportamento na Web sustenta o princípio do Viral Marketing, cuja estratégia é desenvolver conteúdos pelos quais seu público se interesse ou se sinta inclinado a compartilhar, multiplicando sua visibilidade e interação.

Muitas empresas têm investido nisso, obtendo resultados que vão de invejáveis a desastrosos: a recepção do público é que vai pautar o seu sucesso, e caso ela seja negativa, a viralização pode muito bem acabar com sua imagem, e muito rápido.

Vendarketing: unindo equipes rumo ao mesmo objetivo

Uma das grandes rixas no mundo de negócios é a que existe entre vendas e marketing.

Muitas empresas mantém os dois departamentos separados: pela falta de contato, um nunca aprende como o outro funciona, e rapidamente os dois começam a se estranhar esquecendo que estão, no final das contas, no mesmo barco e atrás de um mesmo objetivo.

Para corrigir isso, foi criado o Vendarketing (versão aportuguesada de “Smarketing” = sales + marketing).

A junção de palavras traduz o espírito da coisa: o objetivo é criar um diálogo direto entre os dois departamentos para unir seus esforços e, potencialmente, otimizar resultados.

Como isso funciona? Basicamente, todo mundo trabalha dentro do mesmo funil de vendas: Marketing assume o topo e no meio, estudando e educando o mercado de forma a gerar leads de qualidade.

Vendas, por sua vez, termina o serviço, transformando leads em clientes. E o sucesso é de todos.

Esse foi um guia dos principais tipos de Marketing relevantes ao mercado atualmente. Vale lembrar que existem outras mil categorias e estratégias: tudo depende dos seus objetivos, de quem você quer atingir e como quer fazer isso.

autor: Renato Mesquita
fonte: Saia do Lugar

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *