Convergência Digital: uma nova janela para o comércio eletrônico

Existe uma oportunidade que o comércio eletrônico no Brasil ainda não está explorando, e que em outros países está trazendo excelentes frutos: “surfar na onda da convergência digital”. Isto quer dizer que existem negócios além do browser. Se antes as empresas que vendiam pela internet podiam ser consideradas inovadoras, hoje aquelas que ficam restritas ao navegador continuam no mesmo modelo de anos atrás e não se diferenciam dos concorrentes.

Mas então qual é a tendência? Convergência digital, casa do futuro, integração das mídias… A realidade é que hoje o computador está ligado à TV, e o consumidor acessa mídias de diversos dispositivos. A maior expressão deste fenômeno são os Media Centers, que distribuem, pela casa, todo o conteúdo digital – fotos, filmes, novela das 8, e também o que vem da internet. Neste contexto, talvez o Blue Ray (disco óptico) seja a última mídia física do mercado: conteúdo cada vez mais é sinônimo de conectividade.

E se há demanda por conteúdo, há oportunidades para o comércio eletrônico. A indústria de entretenimento já despertou para a realidade da convergência. Há casos de músicas que vendem mais por meio do Xbox 360, vídeo game multimídia da Microsoft, do que pelo iTunes, loja virtual dos iPods. Músicas e filmes on demand, já são uma realidade no Media Center. E pegando carona nesta tendência, vemos experiências bem sucedidas de comércio eletrônico desenhadas especialmente para o usuário acessar diante da TV. É o caso da loja da HSN.com no Windows Media Center. O canal ganha em exposição – pois é como se estivesse nos “favoritos” dos computadores – e permite que seus clientes mais do que naveguem, assistam suas ofertas, e com a interatividade da internet.
Isto não quer dizer que o browser está morto, pelo contrário. Tecnologias como o Silverlight dão novas possibilidades aos sites tradicionais da internet. O recado é apenas estar atento a outras possibilidades de interação com os clientes, para servir e vender cada vez mais e melhor.

fonte: Camara Brasileira de Comercio Eletronico

Posted in:

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *