Onde está a diferença entre júnior, pleno e sênior?

  1. Hierarquia




A diferença entre um designer júnior, pleno e sênior é uma dúvida da maioria dos profissionais que chegam ao mercado de trabalho e não há uma resposta exata. O que vale é estar sempre aprendendo.

Qual a diferença entre um designer júnior, pleno e sênior? E entre um designer sênior e um especialista? Esta é a dúvida da maioria dos profissionais que estão entrando no mercado de trabalho e sinto dizer que não há uma resposta muito exata, já que cada empresa possui os seus próprios padrões de classificação.
O tamanho da empresa também influencia muito nesta classificação. Por exemplo, se você é um sênior em uma empresa pequena, certamente terá uma experiência diferente em uma empresa grande.

Na maioria das empresas a carreira de um profissional é classificada em: Estagiário, Júnior, Pleno, Sênior, Master e Especialista. Esta classificação é feita pelo popular critério de tempo de experiência e é isso que fará você crescer na maioria das empresas.

Mas como esta experiência é avaliada?

Uma boa forma de avaliar o tempo de experiência de um profissional são os registros na carteira de trabalho, mas como no mercado de web é muito comum o registro de um profissional por PJ (Pessoa Jurídica) o que importa é ter os conhecimentos que o cargo exige. Sendo assim, a classificação é feita levando em conta treinamentos e habilidades técnicas específicas.

Como funciona a classificação?

Júnior: dois anos no mercado;
Pleno: de dois a quatro anos;
Sênior: de quatro a seis anos;
Master: de seis a oito anos

Profissionais com mais de oito anos no mercado são classificados como Especialistas. Estagiários podem ser contratados como Assistentes podendo ficar no cargo até dois anos antes de uma promoção.

É importante lembrar que muitos profissionais estão há anos no mercado mas não evoluíram o suficiente para mudar para um cargo superior. Nestes casos, o tempo de experiência não deve ser o critério de contratação.

Numa carreira de sucesso é importante conhecer ao máximo as funções de determinados cargos, tal como conhecimento e vocabulário técnico, etc. Desta forma o profissional sempre estará preparado para receber uma promoção. O profissional que não se dedica ao aprendizado dificilmente verá sua carreira se desenvolver e estará cada vez mais longe de conseguir boas posições dentro do seu emprego.

autor: Thiago Melo
fonte: [Webinsider]

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *