Dark Patterns: os truques dos sites para abrirmos mão de nossa privacidade





Abra o seu navegador ou ligue seu smartphone, praticamente algo essencial para a vida moderna, e você está entrando em um campo minado da privacidade. Até aí você sabe. Especialmente depois das notícias dessa semana de que o Unroll.me, um serviço popular que o ajuda a parar de receber spam de diversas listas de email com apenas um clique, estava vendendo dados tirados de todos os seus emails. O que você pode não saber é que você liberar a sua privacidade não é só um acidente, mas faz parte do desenvolvimento de um tipo específico de desenvolvedores de aplicativos e web designers que utilizam uma prática chamada “dark patterns”.

O que são “Dark Patterns”?

A prática de utilizar design de interfaces, engenharia social e outros truques para direcionar os usuários em uma direção específica tem sido conhecida ultimamente como “dark patterns”, um conceito que tem seu próprio site, que inclui uma lista dos piores exemplos, apresentando alguns bem escabrosos.

Estamos falando sobre compras extras que aparecem automaticamente no seu carrinho de compras (um truque que agora é ilegal na UE), embaralhar caixas de aceitar ou não ao assinar serviços e outras formas de enganar na internet e em aplicativos. Sem saber, você concordou em compartilhar a sua localização pelos próximos 40 anos ou melhorar a sua passagem de avião por acidente.

O consultor de experiência do usuário Harry Brignull montou o site darkpatterns.org e cunhou o termo “dark patterns” para tentar chamar a atenção para, e acabar com, esse tipo de truque.

“Começou com um único exemplo, uma linha aérea barata estava usando uma técnica para enganar os usuários a comprar o seguro junto com seus voos”, Brignull disse ao Gizmodo. “Eu tive essa ideia de que, dando um bom nome e o espalhando, ajudaria na conscientização dos consumidores e ajudaria a impedir as companhias de usar essas táticas.”

null

O exemplo que inspirou a criação do Dark Patterns. Você está comprando o seguro aqui, não marcando o seu voo.

Brignull aponta dois tipos pertinentes de “dark pattern” na internet moderna: “Friend Spam” e “Privacy Zuckering” (sim, batizado a partir do fundador do Facebook). Você provavelmente já se esbarrou com ambos.

Friend Spam

NoFriend Spam, pedem que você dê acesso à sua lista de contato, dizendo ser para o seu benefício, para encontrar amigos que você conheça que usam aquele serviço em particular. Mas o que acontece na verdade, a maioria das vezes, é que os seus amigos são bombardeados com convites para entrar em qualquer aplicativo que você esteja testando.

null

Você quer uma rede forte, não?

É uma tática maldosa, e o LinkedIn tentou uma versão disso que acabou custando cerca de US$ 13 milhões. Você vai encontrar algumas versões disso (geralmente menos agressivas) sendo usadas em praticamente quase todas as companhias de redes sociais, incluindo o Facebook e o Twitter. Não existe como ter certeza se você está prestes a bombardear a sua lista de contatos com spam, além de uma breve pesquisa para ver se o site que você está usando é um dos praticantes. Ou você pode evitar usar o “encontrar amigos via email” no serviço.

Privacy Zuckering

Privacy Zuckering cobre todas as formas como as companhias tentam que você compartilhe mais sobre você mesmo. O Facebook já pediu que você completasse alguns dados pessoais extra na sua bio? Ou contribuísse com um monte de informações desnecessárias sobre você? Então você foi Zuckerado.

null

Você está conectando ou convidando?

Privacy Zuckering é um pouco menos usado do que costumava ser. Os consumidores estão ficando mais espertos. Esse é o motivo que fez, de acordo com Brignull, muitas dessas práticas se tornarem mais escondidas, através dos termos e condições que você não pode evitar se você for usar um site ou rede social especificamente.

Evitando dark patterns

Existem muitos mais exemplos (dê uma olhada em @darkpatterns) — fazer escolhas premium como padrão, ou fazer diversas opções parecerem bem similares. A maioria das vezes as empresas esperam que você ou não perceba o que está acontecendo ou esteja ocupado demais para fazer algo a respeito.

De acordo com Brignull, a companhia aérea que causou o começo de sua iniciativa desde então se redimiu, mas outras companhias se tornaram exemplo.

“A iniciativa dark patterns funcionou até certo ponto, mas a internet é um lugar muito grande”, diz Brignull. “A situação ficou mais madura.”

A ética do dark patterns não é sempre tão clara também. O Uber, por exemplo, diz que o seu design de aplicativo dá mais dinheiro para os motoristas e fornece melhor serviço para os passageiros, mesmo que você peça o Uber mais chique quando poderia pedir o mais barato. Mas outras escolhas de design de experiência de usuário realmente ultrapassam a linha da enganação.

Chris Nodder, consultor de experiência do usuário e autor de Evil by Design, diz que é difícil para os usuários estarem à frente. “Quando os usuários ficam cientes de certo tipo de truque, os sites começaram a mudar um pouco para que os usuários não percebam mais”, ele disse ao Gizmodo. “E mais sites parecem estar usando os dark pattern do que antes.”

Nodder aponta os maiores suspeitos de serem especialmente problemáticos: os termos e condições. Em Evil by Design, ele cita o exemplo de uma companhia de software que escondeu um prêmio em seus termos e condições, demorou quatro meses e três mil downloads para alguém achá-lo.

“Os termos e condições são apresentados em uma hora quando você está tentando fazer uma tarefa bem diferente”, ele diz. “Eles são uma barreira entre você e o uso do aplicativo, então não é uma surpresa que as pessoas apertem o grande e bonito botão escrito ‘próximo’ ao invés de ler a coisa toda.”

Usuários devem ficar atentos para aplicativos e sites que tentam coletar suas informações e permissões, de acordo com Nodder. Essas tentativas de dark pattern geralmente incluem pedidos que parecem razoáveis para o uso do serviço, como aplicativos que mostram quando seus amigos estão por perto.

“Se você visse um longo formulário com todos os campos de dados pessoais nela, você nunca o preencheria”, diz Nodder. “Até você perceber, você provavelmente está usando tanto o programa que fica difícil de sair.”

Ambos os especialistas sugerem que você se informe sobre com o que você está concordando e que pese os benefícios que recebe em retorno. Sites como o Dark Patterns e o Terms of Service Didn’t Read podem ajudar, mas, não importa o quão nefastos sejam os truques, a responsabilidade ainda recai sobre nós em estarmos cientes daquilo com que estamos concordando. Por fim, você provavelmente ganha em usar menos aplicativos e serviços no futuro.

autor: David Nield
fonte: Gizmodo

PARA COMPLETAR

Dark Patterns: inside the interfaces designed to trick you
57 persuasive design patterns showcasing how companies manipulate us

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *