Como planejar sua vida de freelancer

Um mini–curso grátis, na forma de artigos, vai ajudar você a encontrar caminhos, em vez de becos sem saída. A opção de ser um trabalhador autônomo não é para qualquer um, mas tem suas recompensas.
Quem consegue se planejar hoje em dia? O tempo não existe, é tudo instantâneo, para ontem, antes–de–ontem, e às vezes, sem prazo algum. Num cenário como esse, quem, sobretudo aqueles que desejam, precisam ou tentam viver como freelancers, consegue vislumbrar o que precisará fazer para encarar as próximas ondas?
A situação fica ainda mais complicada se você é um típico freela atual: saiu da faculdade há pouco tempo e, enquanto termina a pós ou MBA, tenta ganhar os primeiros clientes, já que a vaga no emprego, no estágio, ou de trainee…bem, está cada vez mais difícil. Você tem disposição mas não tem experiência, tem talento mas não tem portfólio. Tem tempo, mas não tem verba. Enfim: é a hora de planejar.De maneira didática podemos dividir sua vida de freela em cinco grandes momentos. Note que esta é uma interpretação minha e que, dependendo da sua sorte ou da conjuntura no momento você pode encarar um cenário totalmente diferente. Ou não. Vamos lá?

1. Antes de começar

Você precisa ter Visão: onde estará daqui há um, cinco, dez anos? Fareje quais mudanças sua área de atuação poderá sofrer. Você deve investir em sua Formação. Quando digo isso, não estou falando somente do currículo tradicional e dos cursos específicos ? quase obrigatórios. Falo também de interesses variados, leituras, uma cabeça pronta para encarar o novo, caráter (item de luxo em qualquer prateleira da vida, diferencial garantido para quem o tiver, honestamente).

E, claro, não dá para fugir da Legalização, ou seja, dar entrada na papelada necessária para você “passar a nota”, abrir uma ?firma?. Os clientes passarão a valorizar muito mais e você poderá pedir um pouco mais também.

2. Para começar bem

Neste momento a coisa já começa a esquentar. Um ponto importante é a Apresentação. Não se esqueça: você é o investidor de uma empresa com um funcionário, um presidente, um office–boy… você está vendendo sua “empresa”.

Você precisa trabalhar na Persuasão. Afinal, a competição é tão grande que você tem que ser o mais atraente e atrativo possível. No bom sentido é claro. Ah sim, e tem a Negociação. Será verdade que cliente sempre pode pagar mais? Que cobrar pouco é queimar sua reputação? Que calote é a regra? Isso a gente descobre vivendo, não tem jeito.

3. Para trabalhar bem

Você precisa ter uma Especialização. Não quero dizer para não ter um espírito generalista, mas, ainda assim, você precisa ser muito bom em alguma coisa e não legalzinho em três. O que nos leva a um segundo ponto. Sendo bom, você não pode abrir mão da Inovação, ou seja, você tem que sempre estar fazendo tudo novo, de novo e sempre. Reinvente–se. E para isso, você vai precisar ter muita Disposição. Amigo, amiga, ser freela não é para qualquer um. Mesmo.

Você prospecta mais do que fecha projetos. Você cria mais do que é aprovado. Você cobra menos do que gostaria. E o cliente paga menos do que deveria (quando paga.) Portanto, respirar fundo é preciso. Se você quiser mergulhar, só tem um jeito: de cabeça. Erguida.

4. Para deixar uma boa impressão

Cliente gosta de Atenção. Colha o briefing, apresente relatórios, layouts, esmere–se. Trabalhe com Documentação. Eu sei, eu sei, não é a coisa mais criativa do mundo. Mas é preciso ter tudo registrado. Na maioria das vezes você não terá uma estrutura para garantir, portanto, arquive e registre tudo. Do e–mail ao pedido ?quebra–galho?, num domingo à tarde. E por falar em dias de trabalho pouco convencionais, não se esqueça da Manutenção.

Cultivar fregueses para transformá–los em clientes fiéis pode incluir reuniões para explicar, afinal, o que você faz, ou cobrar um pouco menos para fechar um contrato melhor mais à frente e, até mesmo, evitar atender clientes conflitantes, visando aí, sua reputação futura.

5. Para não parar nunca

Tente evitar a acomodação de um ou dois projetos bem feitos. Para isso é fundamental a Antecipação. É preciso saber para onde o mercado vai. Antes que o mercado vá, obviamente. Pratique diariamente a Reavaliação. Faça perguntas bobas para você mesmo, obtenha respostas idiotas. Só posso passar uma certeza: só sua mãe adorava seus desenhos todo o tempo. E por último, pense sempre em sua Evolução. Procure aparar as gorduras, adquirir novos conhecimentos, entrar em contato com novos grupos de relacionamento. Evoluir é nascer novamente. E de parto normal.

Essa versão telegráfica da vida de freela foi fruto de uma reorganização pessoal. Parei há umas três semanas atrás e organizei tudo o que já tinha produzido: artigos, críticas, pensamentos…e reuni tudo no Mini–Curso–Guia Carreirasolo, lá no Carreira Solo.

Este artigo inicial, que chamo de número zero, está lá em sua versão ?director cut?, com mais informações, fotinhas e links para outros textos já publicados. O Mini–curso começa semana que vem. Serão quinze capítulos, do início…ao reinício. Toda segunda um dos temas será abordado com entrevistas, indicação de livros etc…

Enfim, você vai testemunhar o registro de um grande ciclo de evolução friloprofissional que vai ajudar você a encontrar caminhos em vez de becos sem saída. Claro que não tenho a pretensão de saber tudo. Tenho só a de contar o pouco que estou aprendendo por aí. E de graça!

Se você já tiver alguma sugestão a partir de agora, pode postar por lá. Estou esperando você.

autor: Mauro Amaral
fonte: carreira solo

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *