5 dicas para não ser espontâneo nas redes sociais

  1. 5 dicas para não ser espontâneo nas redes sociais




Qualquer pessoa, por mais distraída e sem noção que seja, tem uma ideia de como seria seu mundo ideal, confere? O que ela às vezes não se dá conta é que deveria agir e se comunicar de maneira que as coisas convergissem para esse mundo se materializar. Assim não precisaria reclamar da vida e se lamentar continuamente, pois estaria ocupada realizando a transformação.

Pois é, e pessoas que agem e se comunicam de maneira intencional, com um objetivo claro, não podem ser espontâneas, sabe por quê? Olha a definição de espontâneo no dicionário: instintivo, não premeditado, ou seja, aquilo que a pessoa faz sem pensar antes. Se eu ajo e me comunico sem pensar antes, sem ser intencional, o que acontece? Hummm…. qualquer coisa. Inclusive com resultados indesejados…

Nas redes sociais, pessoas espontâneas estão sempre à mercê da emoção do momento e postam fotos e textos sem refletir se aquilo contribui para o mundo que deseja realizar e como isso tudo será interpretado do outro lado da tela. E isso pode trazer consequências bem sérias, veja por que.

1. O que for publicado ficará para a eternidade. Tudo o que você posta nas redes sociais não dá mais para apagar. Mesmo que você delete o post, alguém pode ter salvado a imagem. De qualquer maneira, vale saber que empresas como o Facebook mantêm backups que podem ser requisitados pela justiça. Depois não adianta se lamentar; melhor não ser espontâneo e pensar antes de usar um meio público para fazer um desabafo íntimo que só interessa a você e a talvez mais uma ou duas pessoas.

2. Tudo o que você postar pode ser usado contra você num tribunal. É isso mesmo; cuidado com mensagens ou comentários racistas, homofóbicos, preconceituosos ou ofensivos a alguém ou a algum grupo em particular. Uma rede social não é uma mesa de bar, onde você fala bobagens sem pensar. E compartilhar mensagens criminosas faz de você cúmplice aos olhos da justiça; era essa mesma a sua intenção?

3. Publicou, não pertence mais a você. É do mundo. Isso mesmo, depois que apertou o botãozinho “publicar” não tem mais volta, o controle é totalmente perdido. Você não sabe quem vai ler, quem vai opinar, quem vai compartilhar, onde isso vai parar. Mesmo que a mensagem ou foto tenha ido apenas para um grupo de amigos, há muitos meios dela ganhar o mundo sem o seu conhecimento. Pense carinhosamente nisso antes de apertar o botão, por favor.

4. Verifique se o que você está compartilhando é verdade mesmo. Muita gente sai reproduzindo bobagens e divulgando mentiras sem ao menos se dar ao trabalho de conferir as fontes. Repare: como se chama a pessoa que espalha boatos maldosamente e de maneira inconsequente? Fofoqueiro, não é? Depois não adianta chorar, lamentar-se, dizer que não sabia, que não tinha a intenção. Quem tem acesso às redes sociais, também tem acesso ao Google e pode muito bem pesquisar as fontes para saber se aquilo que está compartilhando é verdade ou não. A não ser que sua intenção seja construir um mundo melhor baseado na fofoca.

5. Reflita sobre qual é sua intenção ao postar uma foto ou mensagem. Ela é útil para alguém? Ajuda, de alguma maneira, a construir o mundo que você quer? Por favor, não confunda chatice e mau-humor com utilidade; piadas e frases espirituosas podem fazer o mundo ficar mais divertido e leve, mas há que se ter um filtro. Por exemplo: se a informação que estou postando só tem utilidade para a minha mãe, por que não envio uma mensagem particular para ela, em vez de ficar poluindo a página de meus amigos que nada têm a ver com isso? Qual a minha intenção a cada foto ou foto que publico? O que quero que as pessoas pensem ou sintam, qual é a mensagem por trás da imagem?

Ok, já estou ouvindo vozes berrando “a página é minha e posto o que eu quiser”. Está claro, não discordo disso em nenhum ponto. Só quero chamar atenção para cada um pensar sobre a real intenção ao compartilhar cada informação e as consequências que o ato pode provocar.

Redes sociais são o pior lugar do universo para alguém ser espontâneo. Acredite, é sério.

autora: Ligia Fascioni
fonte: Acontecendo Aqui

Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *